Relação Simbiótica: a IA está revolucionando a segurança cibernética e a segurança cibernética está garantindo o futuro da IA


Robert Janssen
Presidente da Assespro-RJ
06 de Junho 12:18
  • Enviar por e-mail
    Enviar por e-mail
    Para múltiplos destinatários separe os e-mails por vírgula.
  • Salvar em PDF

Relação Simbiótica: a IA está revolucionando a segurança cibernética e a segurança cibernética está garantindo o futuro da IA

No cenário digital interconectado de hoje, a segurança cibernética é mais crucial do que nunca. À medida que as ameaças cibernéticas se tornam cada vez mais sofisticadas e difundidas, as organizações recorrem à inteligência artificial (IA) para reforçar as suas defesas.


Por outro lado, a própria IA está sendo “moldada” e “aperfeiçoada” pelos avanços nas práticas de segurança cibernética. Esta relação simbiótica entre a IA e a cibersegurança está remodelando a forma como abordamos a segurança digital.


 
Principais conclusões


No final a IA desempenha um papel fundamental no aumento das capacidades de segurança cibernética, incluindo detecção de ameaças, análise comportamental e resposta automatizada.
 
As medidas de cibersegurança são essenciais para aumentar a robustez, a confiabilidade e a transparência dos sistemas de IA. Enfrentar desafios como preconceitos, riscos de segurança e preocupações com a privacidade requer uma abordagem multidisciplinar e adesão a práticas éticas de IA e segurança cibernética. A relação simbiótica entre a IA e a cibersegurança já iniciou a remodelação do panorama da segurança digital, abrindo caminho para um futuro mais seguro e resiliente.
 


A ascensão da IA na segurança cibernética


Os ataques cibernéticos estão se tornando mais frequentes, complexos e caros. Existem diversas pesquisas demonstrando o aumento quase exponencial de ocorrências, incluindo estimativas do que isto representa em termo de custo médio global em torno de 4,35 milhões de dólares.


As soluções de segurança tradicionais, embora valiosas, com o avanço tecnológico, a velocidade, a escalabilidade e adaptabilidade se tornaram desafios estratégicos necessárias para combater eficazmente estas ameaças em evolução. É aqui que entra a IA.
 
 
Detecção e prevenção de ameaças


Os sistemas alimentados por IA podem analisar grandes quantidades de dados em tempo real para identificar padrões e anomalias indicativas de ameaças cibernéticas. Isso permite detecção e resposta mais rápidas a ameaças potenciais. Grande parte das empresas que tem sido entrevistadas pelos institutos de pesquisa acreditam que a IA é essencial para detectar ameaças que contornam as medidas de segurança tradicionais.
 
E isto ficou muito evidente nos tours guiados de Inovação realizados durante a conferência do RSA em San Francisco, onde a grande maioria das empresas presentes, já tem a IA minimamente incorporada nas suas narrativas e posicionamento.


 
Resposta Automatizada


A automação orientada por IA permite tempos de resposta mais rápidos a incidentes de segurança, minimizando o impacto de ataques cibernéticos. Mais de 50% das empresas que tem uma das BIG 4 como assessora, já tem essa integração de IA nas suas soluções como escopo obrigatório
 
A IA pode automatizar tarefas rotineiras como contenção e remediação, liberando os profissionais de segurança para se concentrarem em questões mais complexas. Isto pode reduzir significativamente o impacto e a duração dos ataques cibernéticos.
 


Inteligência e previsão de ameaças


Agora, a grande conquista que se torna possível com a IA, e uma postura mais preditiva, com a possibilidade de analisar dados históricos e identificar padrões, e assim prever ataques futuros e fortalecer proativamente as defesas. Isso ajuda as organizações a ficarem à frente da curva e a prevenir ataques antes que eles aconteçam.
 
A IA processa feeds de inteligência sobre ameaças, prevendo vetores de ataque emergentes. O impacto: detecção precoce de vulnerabilidades, contribuindo para a atual estratégia sendo adotada por diversas organizações de Zero Trust.
 


Bate-pronto para correção de vulnerabilidades


A IA pode identificar vulnerabilidades em códigos e sistemas muito mais rapidamente do que os humanos, permitindo correções e correções mais rápidas. Isto reduz a janela de oportunidade para os invasores explorarem essas vulnerabilidades.

Aprimorando a IA por meio da segurança cibernética: construindo uma relação simbiótica

Agora a IA vai precisar da segurança cibernética também, e daí estabelecendo uma relação simbiótica Existem grandes desafios e exigências que obrigatoriamente vão impactar o desenvolvimento e a aplicação da IA.
 
 
Segurança e privacidade de dados


Medidas de segurança cibernética, como criptografia e controles de acesso, protegem dados e modelos de treinamento de IA contra acesso não autorizado. Por que a IA na envolve a coleta e análise de dados pessoais, requer fortes técnicas de preservação da privacidade e considerações éticas.


 
Robustez Adversária


Técnicas amplamente adotadas no contexto da segurança cibernética, como o treinamento de contrapontos ajudam a tornar os modelos de IA mais resilientes a ataques adversários. Porque os sistemas de IA também são alvos vulneráveis a ataques. está forçando os programadores de IA a construir sistemas mais robustos e seguros.
 


Exigência da transparência


As práticas de cibersegurança promovem a transparência e a responsabilização nos sistemas de IA promovendo a confiança entre utilizadores e partes interessadas. 
 
 
O futuro desta relação simbiótica


A parceria entre a IA e a cibersegurança ainda está numa fase inicial, mas o seu potencial é vasto. À medida que a IA continua a evoluir e a adaptar-se, o seu papel na segurança do nosso mundo digital tornar-se-á ainda mais crucial. Por outro lado, os desafios e exigências da segurança cibernética continuarão a impulsionar a inovação na IA tornando-a mais robusta, transparente e ética.
 
O papel crescente da IA na segurança cibernética não substitui a experiência humana, mas sim uma ferramenta poderosa que pode aumentar e melhorar as capacidades de segurança. Ao abraçar esta tecnologia e enfrentar os desafios que ela apresenta, podemos construir um futuro digital mais seguro e protegido.

Desafios e considerações éticas

Preconceito e justiça


Os algoritmos de IA podem perpetuar ou amplificar preconceitos presentes nos dados de treinamento, levando a resultados injustos ou discriminatórios. De acordo com um estudo do MIT, os preconceitos raciais e de género prevalecem em muitos sistemas de IA realçando a necessidade de práticas éticas de desenvolvimento de IA.


 
Ataques adversários em modelos de IA


Os modelos de IA são vulneráveis a ataques adversários de muitas formas e formatos. Mais importante ainda, os pesquisadores nem sequer conhecem as diferentes maneiras pelas quais um modelo de IA pode ser atacado. Os cibercriminosos podem, portanto, explorar as vulnerabilidades da IA através de ataques adversários. A única defesa contra tais ataques é o desenvolvimento de modelos robustos de IA e o monitoramento contínuo.


 
Riscos de segurança de sistemas de IA


Os próprios sistemas de IA podem ser vulneráveis a ataques, colocando novos desafios de segurança para as organizações. O Fórum Económico Mundial identifica as ameaças à cibersegurança relacionadas com a IA como um dos principais riscos globais no seu Relatório de Riscos Globais.
 
 
Preocupações com a privacidade


A utilização da IA para vigilância e análise de dados levanta preocupações sobre a violação da privacidade e o capitalismo de vigilância. O GDPR e outros regulamentos de privacidade impõem restrições à coleta e processamento de dados pessoais por sistemas de IA.


 
Conclusão


O papel crescente da IA na segurança cibernética e vice-versa significa uma mudança de paradigma na forma como abordamos a segurança digital. As tecnologias baseadas em IA estão revolucionando a detecção, resposta e prevenção de ameaças, tornando a segurança cibernética mais proativa e eficaz. Ao mesmo tempo, as medidas de cibersegurança estão a moldar o desenvolvimento da IA garantindo confiança, transparência e resiliência nos sistemas de IA.
 
No entanto, desafios como preconceitos, riscos de segurança e preocupações com a privacidade sublinham a importância do desenvolvimento ético da IA e de práticas robustas de cibersegurança. Ao aproveitar as sinergias entre a IA e a segurança cibernética, podemos navegar no cenário de ameaças em evolução e construir um futuro digital mais seguro.
 
A IA amplia os analistas humanos, melhorando a caça a ameaças e a tomada de decisões. 
 
E para conhecer mais sobre como essa relação simbiótica vai continuar crescendo e se tornando cada vez mais estratégico para as empresas, na medida em que avançam nas suas jornadas de transformação digital, convido todos para participarem da 14ª edição do Thinking Digital + a 2ª edição do Cybersecurity Summit Rio, nos dias 3 e 4 de julho, no Centro de Convenções da Bolsa do Rio de Janeiro.

03 e 04 de julho de 2024 | Centro de Convenções da Bolsa do Rio

ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS E COMPETITIVIDADE DIGITAL COM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

DO RSA CONFERENCE 2024 PARA O BRASIL: TENDÊNCIAS CORPORATIVAS EM CYBERSECURITY COM IA

Comentários
Carregando...